bed & breakfast carioca

216

Mesmo morando na Cidade Maravilhosa desde sempre, a gente adora conhecer novos lugarzinhos de hospedagem pra indicar aos amigos de passagem. E tem boa nova na lista: a Casa Beludi, um bed & breakfast que acabou de abrir no Cosme Velho!

Pra começar, a vizinhança tem jeito de cidade pequena, com casas, ruas tranquilas e mata ao redor. E ainda fica a poucos metros do Cristo Redentor, cartão postal master da nossa cidade! Privilégio, né?

49

Da decoração ao staff (os próprios donos moram no local!) o lugar tem clima de casa de amigo, onde tudo convida a entrar e ficar à vontade. A mesa comprida, por exemplo, chama ao encontro entre os hóspedes na hora mais gostosa do dia: o café da manhã.

E quando o assunto é “bed”, são cinco quartos para todo tipo de bolso e gosto. Pode ser para casal ou grupo de amigos, tudo bem adaptável às necessidades! Ah, e o barulhinho da cachoeira atrás da casa tá incluso em todos, oba!

A pergunta que não quer calar por aqui: já pode fazer as malas, fugir de casa e passar um fim de semana lá? Delícia!

Favoritos NY # 2

Vista da Madison Square, perto do Flatiron

E não é que os últimos dias da viagem passaram voando? É sempre assim! Mas acho que 10 foi a quantidade perfeita de dias, já tava sentindo falta da minha caminha e da comida de casa! Essas foram minhas últimas e adoráveis descobertas em NY:

Compras:

– Não comprei nada, mas amei a REI, uma loja só de artigos de aventura. Bom pra quem curte acampar, escalar, etc. Também tinha um andar só de roupas e outro cheio de bicicletas lindas, me apaixonei por várias!

– A Joe Fresh é o lugar pra comprar básicos nem tão básicos como você encontra na Uniqlo (também ótima!). Porque lá tem casaquinhos de $16, mas além de vir em cores como branco e preto, eles vêm em amarelo neon, listrado, etc… a marca também tem uma boa linha de roupas de ginástica!

Restaurantes:

– Grimaldi’s: dica da Amanda, blogueira do Starving que encontrei no Brooklyn pra dar um passeio. É uma pizzaria que fica ali no Dumbo (parte moderninha da região) e, mesmo com uma friaca de 3C, tinha fila na porta! Mas valeu a pena esperar, a pizza é muito gostosa e barata. Comemos tomando uma Carafe de vinho tinto e ainda deu pra ficar no brilhinho..haha!

– The Meatball: um restaurante só de almôndegas, mas que é bem versátil, você escolhe o tipo de carne e o acompanhamento, e pode até colocar a almôndega dentro de um sanduíche! Pedi com uma polenta e uma market salad que tinha macadâmia, pomegranate (esqueci a tradução), tava maravilhosa! A trilha sonora é bem rock, lembro que tava tocando Nirvana quando chegamos. Ou seja, se você quiser sentar pra conversar e ficar light não é o lugar ideal..

Lugares:

– Brooklyn Bowl, fica em Williamsburg, parte cool do Brooklyn. É um boliche/restaurante/casa de show grandinho. Vi a apresentação do Flight Facilities, bem legal! Só não curti o cardápio, muita comida trash…

Keith no Brooklyn Museum!

– Brooklyn Museum: fomos só para ver a exposição do Keith Haring e acabei me surpreendendo! A mostra estava ótima e o museu não estava superlotado para um sábado chuvoso à tarde. E o café não tinha preços extorsivos como no Guggenheim.

Um dos vários auto-retratos que Frida fez.

– A expo da Cindy Sherman no MoMa está imperdível! Nunca tinha visto tantos trabalhos da artista e nem sabia que ela era TÃO versátil. Pena que fui faltando duas horas pro museu fechar, só deu pra ver as expos temporárias e alguns quadros do quarto andar (Frida, Dalí, Max Ernst, Picasso, De Chirico <3). Mas tudo bem,  eu já tinha visto tudo da outra vez que fui pra NY! Na famosa lojinha do MoMa comprei uma capa pro iPhone e uns bloquinhos muito fofos pra dar de presente.

– O museu do FIT (Fashion Institute of Technology) tem uma mostra permanente com produções de estilistas renomados como Chanel, Balenciaga, etc, mas também expos temporárias. Adorei a “Youthquake!” que falava sobre as mudanças que a moda e a cultura jovem sofreram durante os anos 60 (quem não queria ter vivido um dia que fosse nessa época?!).

OBS: há tempos não assistia a Sex and the City, mas, com a vinda pra NY, minha irmã pegou uns DVD’s emprestados. Morri de rir com o episódio “Depois daquele post-it”, que tá no disco dois da 6a temporada. Só digo que foi um dos mais divertidos ever!!!

Bom, acho que foi isso! Agora a pedida é dormir e sentir, nos próximos dias, como NY mexeu comigo… afinal, toda viagem provoca mudanças na gente, né? Por isso que eu amo viajar!