Visita: Exposição Frida Kahlo

Depois de passar por São Paulo, a aguardada exposição Frida Kahlo: conexões entre mulheres surrealistas no México chegou ao Rio, mais precisamente na Caixa Cultural, no Centro. Fui lá semana passada e confesso que não amei. Não sei se estava num mal dia, mas não achei emocionante como esperava (há uns 6 meses vi uma outra expô dela e me conectei muito mais). A sensação era de apenas estar olhando um catálogo de obras da Frida misturadas com obras de outras pintoras surrealistas e contemporâneas a ela. Faltou algo.

IMG_9671

Os curadores fizeram o esforço de reunir alguns figurinos inspirados na artista, numa sala onde também podemos ver algumas fotos históricas de Frida. Isso deu um toque mais pessoal, de fato. Mas fiquei com vontade de mais! Talvez porque me veio à memória as aulas de Surrealismo que cursei em Lyon 3, fiquei tentando lembrar de todos os pequenos significados que meu professor buscava desvendar em cada pintura da Frida e de outros. Senti falta de ler sobre ou ouvir alguém conectando as imagens com as histórias pessoais da artista – que vivia sofrendo de amor ou de doença, mas sua força para produzir era louvável – e com outros embalos que cada símbolo (uma planta, um desenho, um animal) trazem.

IMG_9675

Aula com esse professor de novo, pra mim, provavelmente nunca mais, porém a gente ainda pode tentar entrar no universo da mexicana através do filme e das peças que vez ou outra pintam por aqui. (Lembro de quando devia ter uns 15 anos e vi uma com a Rosa Maria Murtinho, fiquei tocada com tanto drama na vida da pobrecita, mas também impressionada com a capacidade de dar a volta por cima.)

IMG_9673

Por isso, sim, vá ver, mas se quiser mergulhar mais profundamente busque a visita guiada ou outras fontes de conhecimento – livros (o diário dela tá na wishlist), estudos sobre, etc. A expô fica em cartaz até 27 de março.

visita: frida no botanical garden de ny

Sabe quando você tem o prazer de descobrir que uma exposição que sempre quis ver está na mesma cidade de você? Isso que aconteceu comigo e Frida. Sempre quis ir pro México visitar sua famosa Casa Azul, mas ainda não rolou. Pelo menos tive a chance de conhecer o cantinho especial dessa pintora na exposição que tá rolando aqui em NY no Jardim Botânico do Bronx.

Processed with VSCOcam with f2 preset

Confesso que viagem do sul de Manhattan até lá foi um pouco longa, mas com o metrô expresso 4 nem foi tão devagar assim. Nunca tinha ido pro Bronx e foi curioso conhecer mais da vizinhança (ouvi muito espanhol por todos os lados, talvez seja por isso que Frida foi parar logo ali), que não é das mais turísticas mas tem esse incrível parque.

Processed with VSCOcam with f2 preset

No prédio principal a gente tem a chance de ver algumas pinturas originais da Frida – mas são bem poucas, cerca de 6 ou 7 se não me engano, e não pode fazer nenhum clique ali dentro. Vale muito a pena mesmo assim porque são quadros bem icônicos, como Self Portrait with Necklace of Thorns. Emocionante ver de perto toda a técnica, criatividade e sensibilidade aplicada nos trabalhos dela.

Processed with VSCOcam with f2 preset

Essa sala também reúne esboços de alguns dos quadros presentes – legal ver o que se manteve e o que mudou, ter um gostinho dos ‘bastidores’. Ah, esse espaço, além disso, exibe algumas lindas fotografias originais de Frida, de sua casa e dos amigos que a frequentavam. Muitas das fotos são de Nickolas Muray, fotógrafo que era uma visita bem constante na Casa Azul por ser um dos amantes da pintora. Babei porque muitas das imagens já tinha visto na internet, mas pessoalmente é outra coisa!

Processed with VSCOcam with f2 preset

Depois, a visita se estende a outra parte do parque, numa espécie de jardim de inverno onde eles recriam um pouco o ambiente da Casa Azul, onde o casal Frida e Diego viveu por quase 30 anos. Ali as paredes ganharam os tons azul e vermelho e a natureza uma boa dose de tropicalidade com as plantas mais queridas dos dois – a Instituição garante que estudiosos e botânicos fizeram um estudo minucioso pra reconhecer quais espécies o casal cultivava em seu jardim.

Processed with VSCOcam with f2 preset

Essa parte é um presentaço pra quem, como eu, é louco por esse tipo de vegetação… algumas folhas são tão lindas que fazem a gente ficar uns bons minutos olhando o ~design~, tentando o melhor enquadramento pros cliques. Vá com calma pra se perder nesse momento e deixar o olhar se encantar mais e mais com toda essa beleza.

Processed with VSCOcam with f2 presetFotos: @marivferrari

Depois de passar algumas horas na companhia de Frida a gente ainda pode estender o passeio às outra áreas do Jardim e continuar se surpreendendo com o paisagismo e a natureza. Não deu pra ver tudo porque o parque é bem grande, mas deu pra recarregar as energias e matar um pouco da saudade das terras tropicais. Quando bateu a vontade de descansar, a pedida foi sentar em um dos cafés e relaxar com uma delicia como muffin de cranberry… hum!

Vai lá:

Frida Kahlo – Art, Garden, Life – até 1 de novembro de 2015 – The New York Botanical Garden 

 2900 Southern Blvd., Bronx, NY 10458

o guarda-roupa de frida

1

Frida Kahlo é umas das artistas mais expressivas do século xx, com suas pinturas cheias de amor e dor. Seu estilo vem influenciando a moda há um bom tempo, e não é que agora a gente pode apreciar um tesouro dela que estava guardando há 60 anos?

Cheio de peças emblemáticas, o guarda-roupa da pintora finalmente vai ser mostrado a público. São vestidos, saias estampadas, maxicolares e brincos que eram marca registrada dela e ajudaram a construir seu estilo surrealista totalmente influenciado pela cultura mexicana.

3A exposição conta com cerca de 300 peças e está em exibição no museu La Casa Azul, na Cidade do México, onde Frida morou a vida inteira! Então se você ta com viagem marcada pra lá, anotaí: a mostra vai até novembro deste ano. E a vontade de embarcar pra lá agora, como lidar?